Oyá


Oyá é o Orixá que faz o equilíbrio com Oxalá no Trono da Fé. Oyá é em si mesma a religiosidade dos seres, cristalizando nele a Fé de Oxalá.

Conforme vimos na aula passada, Oxalá é principal Orixá porque sem Fé não há religião e nem crença em Deus. Já Oyá é a Orixá temida por todos, porque em seu mistério ela atua sobre os descrentes, os fanáticos religiosos e os enganadores da boa-fé alheia, desmagnetizando o mental desvirtuado, anulando suas faculdades e paralisando seu emocional, esvaziando-o em todos os sentimentos capitais.

Oyá gera em si o fator temporal de Deus, e transmite-lhes sua qualidade, que é cristalizadora da religiosidade na vida de um ser.

Vejam, que Oyá cuida do tempo cronológico, ou seja, passado, presente e futuro, ou dia, tarde e noite, é ela quem através do tempo corrige os excessos dos seres humanos. Isto porque, ora ela acelera sua busca da fé, ora o afasta das coisas religiosas, direcionando sua evolução para outros sentidos da vida, ou mesmo fatores de Olorum, como a busca do Conhecimento, da Lei, da Justiça, do Amor, da Geração ou da Evolução.

Outro ponto importante de nossa mãe Oyá é o fato de que ela na religiosidade atraí o ser para as coisas da Fé ou de Deus.

Enquanto Oxalá é passivo no seu magnetismo de corrente contínua, Oyá é ativa de corrente alternada, em que uma onda espiralada estimula a religiosidade e a outra a esgota na vida do ser emocionado, fanatizado ou desequilibrado.

Assim, podemos dizer que Oyá é o tempo onde tudo se realiza. Oyá é ainda o gélido tempo onde são desmagnetizados os desequilibrados nas coisas da Fé. É o tempo por onde caminham os seres que estão buscando nosso divino criador. É o rigor divino para com os filhos que voltaram as costas para as coisas santas.

Apenas por curiosidade, Oyá na numerologia é o dez.

Os filhos de Oyá no positivo são simpáticos, discretos, silenciosos, observadores, amigos e conselheiros, emotivos, mas guardam suas emoções para si ao invés de exteriorizá-los, são lutadores e muito sinceros.

Os filhos de Oyá no negativo são retraídos, ciumentos, possessivos, evasivos, descrentes, desconfiados, não perdoam uma ofensa, mesmo inconscinte.

Os filhos de Oyá apreciam as coisas religiosas, o estudo, a música suave ou romântica, um pouco de isolamento, conversas construtivas, a companhia de pessoas discretas, reservadas e amorosas.

Os filhos de Oyá não apreciam pessoas imaturas, improdutivas, muito falantes e grosseiras, roupas aberrantes, discussões inconseqüentes, intrigas, lugares muito agitados, não gastam seu tempo à toa.

Para fazer oferendas a nossa mãe Oyá podemos usar:
- toalha ou pano branco;
- velas Azul-escuro;
- frutas laranja, uva, caqui, amora, figo, romã, maracujá azedo, entre outras;
- licor de anis;
- flores do campo, palmas brancas, lírios brancos;
- copo com água;água mineral, entre outras coisas.




Rua Doutor Manuel Segundo Vanderlei, nº49 - São Paulo - SP | CEP: 03804-130 | Copyright© 2014-2017 - CETO

Desenvolvido por SS Desenvolvimento